Apreciare | Setembro: um mês para valorizar a vida
16735
post-template-default,single,single-post,postid-16735,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1.1,vc_responsive

Setembro: um mês para valorizar a vida

Setembro: um mês para valorizar a vida

Setembro é oficialmente o mês de valorização à vida e conscientização sobre o cuidado com a saúde do corpo e da mente.

Queremos usar esse mês pra falar de vida, de alegria e convivência entre as pessoas. O mundo seria muito melhor se todos pudessem viver em harmonia com todos e consigo mesmo. Em uma época de conexões, vemos pessoas sempre com tanta pressa que mal conseguem parar um instante, prestar atenção no outro e em si próprio.

Quem passeia pelas redes sociais já deve ter lido algo sobre o Setembro Amarelo, mas talvez, por distração, não sabe o que é ou não tenha entendido muito bem a campanha. Ela foi criada com o intuito de informar as pessoas sobre o suicídio, suas causas, tratamento e a importância de cuidar da saúde emocional..

História do Setembro Amarelo

A campanha teve início no Brasil, em 2015, pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). As primeiras atividades realizadas pelo Setembro Amarelo aconteceram na capital do país, Brasília; mas já no ano seguinte várias regiões de todo o país aderiram ao movimento e também participaram.

A Associação Internacional para a Prevenção do Suicídio (IASP) estimula a divulgação da causa em todo o mundo no dia 10 de setembro, que é a data na qual é comemorada como o Dia Internacional de Prevenção ao Suicídio.

Objetivo do Setembro Amarelo

O objetivo do mês de prevenção ao suicídio é conscientizar as pessoas desse problema grave, promovendo diálogo sobre um tabu em desconstrução. É um mês que busca criar conversas sobre o assunto, deixar as pessoas que sofrem saberem que não estão sozinhas na luta pela recuperação.

Além disso, campanhas como essa são importantes porque podem salvar vidas através da informação transparente e direta.

Devemos saber que quadros de depressão podem atingir qualquer pessoa: as que se alimentam bem ou mal, as esportistas ou sedentárias, as extrovertidas ou introspectivas. Não há regras. Mas há auxílio médico, com aporte psicológico e nutricional, para virar o jogo.

Por isso, se você for alguém que precisa de uma mãozinha amiga, acompanhamento médico e novas perspectivas, não tenha vergonha de pedir ajuda.

E, se quiser ser o braço de ajuda das pessoas em situação de suicídio, saiba que o assunto deve ser tratado com seriedade e respeito.

O que fazer para ajudar?

Muitas vezes, quando nos deparamos com situações em que o outro está emocionalmente abalado, geralmente não sabemos o que fazer. O mais comum é sugerir à pessoa que procure um médico, principalmente se os sinais do abalo são também físicos.

Emagrecer ou engordar muito em um limitado espaço de tempo, cansaço e desânimo constante, mesmo com vida de atleta, são apenas alguns sintomas que podem indicar que alguém precisa de ajuda especializada. Nesse caso, o médico é a opção mais acertada.

No entanto, podemos fazer a nossa parte como bons amigos e familiares, valorizando e respeitando a dor alheia, sem tratar a tristeza repentina do próximo com desprezo ou desafeto. A importância de valorizar a vida está em pequenos atos, como estar atento, e de braços abertos, às pessoas mais próximas.

Prestar atenção é a chave. Hoje tudo é tão corrido que, muitas vezes, passamos perto de alguém e nem sabemos seu nome – ou desconhecemos, por exemplo, quem são nossos vizinhos ou aquela pessoa da academia.

O primeiro passo para estar apto a ajudar é refletir sobre as pessoas ao redor, estejam elas precisando de ajuda ou não.

Mas o que eu realmente posso fazer? Se você notar que algum amigo ou parente apresenta atitudes diferentes do normal, observe e ofereça ajuda. Quando notar que o auxílio está além dos seus limites, busque acompanhamento médico para a pessoa em vulnerabilidade.

Nesse primeiro momento o amparo que pode oferecer a esse amigo é ouvir o que ele tem a dizer e incentivá-lo a procurar socorro especializado. Não se esqueça de avisar os parentes da situação dessa pessoa.

Tão importante quanto é levar a sério o que pessoas em depressão dizem e fazem. Não subestime nada, nem ninguém. Sua atenção e reação podem salvar vidas.

E por que uma marca de produtos lácteos está falando sobre isso?

A Apreciare é uma marca que preza pela saúde, em todas as vias.

Não estamos aqui apenas para incentivar que você busque o corpo perfeito, o peso dos sonhos ou a saúde física, mas também a mental. Corpo são, mente sã – e vice-versa. Lembra?

Sem estar de bem com seus sentimentos e pensamentos é difícil conseguir sucesso em outras empreitadas. Por isso, além do cuidado com a saúde dos órgãos, ossos e músculos, prezamos também por um estilo de vida mais leve, com incentivo à prática de exercícios físicos, alimentação criteriosa e cuidados com a mente.

Tudo isso faz parte de um sistema, uma engrenagem que precisa de equilíbrio para funcionar. Se você precisa de ajuda para restaurar esse equilíbrio, precisamos usar nosso espaço para te contar que ela existe e é gratuita. Além de bons amigos e pessoas queridas da família, o Centro de Valorização da Vida quer te ouvir.

Neste mês vamos abraçar, aqui e em nossas redes sociais, a causa do Setembro Amarelo. Pode acreditar: a vida tem sabor, é linda e merece ser vivida. Se tiver leveza, tanto melhor.

Estamos juntos, hoje e sempre, nessa caminhada pelo bem mais precioso do mundo: a sua saúde.